8 maneiras de ajudar um cão com demência

Uma jovem sorridente com cabelo vermelho e uma jaqueta azul está sentada ao lado de um labrador dourado nas margens do Lago Priest. Priest Lake, Idaho.

Os cães envelhecem. É o que acontece quando cuidamos de nossos filhotes, prestamos atenção à sua saúde e bem-estar e fazemos o que podemos para aumentar sua longevidade.

Queremos passar o máximo de anos possível com nossos cães e ter certeza de que esses anos sejam tão completos e felizes quanto possível. Isso significa, no entanto, que nossos filhotes mais velhos têm mais probabilidade de chegar ao ponto em que sofrem de problemas médicos relacionados à idade, incluindo 'demência canina'.

A disfunção cognitiva canina, ou CCD, é semelhante à doença de Alzheimer em humanos e tende a aparecer em cães mais velhos à medida que o cérebro envelhece. Os sintomas podem ser dolorosos, mas existem maneiras de ajudar a tratar seu cão, deixá-lo confortável e melhorar sua condição.



Os sinais de CCD em cães podem incluir:

  • ciclos de sono interrompidos ou incomuns
  • mudanças na personalidade
  • comportamento incomum ou mudanças no comportamento normal
  • acidentes em casa
  • latindo sem motivo
  • se perder em lugares familiares
  • ansiedade
  • agindo mais retraído
  • deixar de responder a comandos familiares ou ao seu próprio nome

Se o seu cão está enfrentando esses problemas,você deve consultar o seu veterinário, pois outras condições médicas podem compartilhar esses sintomas. Se o seu cão for diagnosticado com CCD, você deve perguntar ao seu veterinário sobre as medidas que você pode tomar para deixá-lo mais confortável e fornecer tratamento.

A demência pode ser individual para cada cão e muitas vezes depende de quão avançada a condição está,trabalhe com seu veterinário para formular um plano apropriado. Aqui estão algumas maneiras pelas quais você pode ajudar seu cão com demência, sobre as quais você deve conversar com seu veterinário.

1. Siga uma rotina

Cachorro faminto comendo de lata

Um dos principais sintomas da demência em cães é a desorientação. Seguir um cronograma pode ajudar a reorientar os cães, o que pode ajudar a prevenir o agravamento de outros sintomas, como ansiedade.

Tente acordar no mesmo horário todos os dias, siga um esquema de alimentação, saia na mesma hora e vá para a cama no mesmo horário razoável.

Manter o cronograma pode ser difícil se sua vida não for tão previsível e também pode ser prejudicado se o horário de sono do seu cão for interrompido. No entanto, desenvolver uma rotina que você e seu cão possam seguir ajudará a reduzir a confusão dele, então tente o seu melhor.

2. Pergunte ao seu veterinário sobre medicamentos

Existem certos medicamentos que podem ajudar a tratar o CCD e seus sintomas.

Anipryl, também conhecido como Selegiline ou cloridrato de selegilina, é um medicamento que trata a doença de Cushing em cães, mas também tem sido eficaz no tratamento da demência. Muitos cães até veem melhora na função cognitiva.

Seu veterinário também pode falar sobre soníferos ou medicamentos ansiolíticos para tratar alguns dos sintomas associados à doença.

3. Experimente suplementos naturais

Um golden retriever sênior está recebendo um comprimido em uma colher com manteiga de amendoim. A manteiga de amendoim costuma ser usada para disfarçar o sabor da pílula.

Existem muitos suplementos naturais que tratam dos sintomas do CCD sem alguns dos efeitos colaterais potenciais da medicação, e seu veterinário pode querer explorar essas opções.

Melatonina , por exemplo, é um suplemento que pode ajudar a reduzir a inquietação noturna, também conhecida como “pôr do sol”, e melhorar os ciclos de sono.

O óleo de coco demonstrou ter muitos benefícios para a saúde, incluindo a melhoria da função cognitiva. Os ômega 3 têm propriedades restauradoras da saúde semelhantes, assim como muitos alimentos e suplementos que contêm antioxidantes, como a cúrcuma.

Alguns veterinários até recomendam óleo de canabidiol (CBD) . Estas são todas as opções que você devediscuta com o seu veterinário.

4. Reduza a ansiedade

A ansiedade é um sintoma preocupante da demência e existem várias maneiras de controlá-la.

Rotinas, medicamentos e suplementos podem ser eficazes, mas existem outras opções que também podem ser eficazes. Alguns donos de cães juram que a acupuntura, a aromaterapia e até mesmo a musicoterapia mantêm seus cães calmos.

Thundershirts podem ajudar alguns cães, assim como caminhadas regulares e exercícios moderados.

Basta estar atento às preferências do seu cão. Se um novo tipo de terapia for introduzido, pode ser uma sobrecarga de novos estímulos. Conheça as limitações do seu cão e converse com o seu veterinário sobre como ajustar o seu tratamento de acordo.

5. Brinquedos de quebra-cabeça

cachorro marrom deitado no chão com quebra-cabeça de cachorro e mordidas em pedaços; o cão é um Podengo Português médio (revestido de arame), o puzzle é Dogworker de Nina Ottosson

Brinquedos de quebra-cabeça podem ser uma boa maneira de manter o cérebro do seu cachorro velho ativo e funcionando, o que pode evitar os efeitos do CCD. Esses brinquedos estimulam a interação, o que também pode representar um pequeno desafio físico para o cão e manter o sangue fluindo para o cérebro.

Este é outro tratamento que requer que você conheça as limitações do seu cão. Se eles ficarem ansiosos com o estímulo adicional do novo brinquedo, você pode procurar um tratamento alternativo.

No entanto, para muitos cães com demência, os brinquedos de quebra-cabeça fornecem um treino cerebral muito necessário.

6. Mantenha um ambiente consistente

Muito parecido com seguir uma rotina, um ambiente consistente pode ajudar os cães com demência a evitar a confusão e permitir que eles se reorientem.

Isso significa que você deve manter móveis, camas de cachorro, tigelas de comida e água e tudo mais pela casa relativamente na mesma posição. Não é o melhor momento para pensar em redecorar.

Evite desordem e mantenha-se organizado. Não deixe brinquedos espalhados e coloque suas roupas no cesto de roupa suja.

Além disso, esteja ciente de que os convidados podem fazer com que seu cão fique confuso e ansioso, pois introduzem novos estímulos no ambiente dele. Quando os convidados vierem, esteja ciente das necessidades do seu cão e se reorganize depois que eles saírem.

7. O jogo e o treinamento devem ser curtos e simples

Labrador preto mais velho brincando com um brinquedo no verão

Existe um equilíbrio delicado quando se trata de brincar e treinar com cães que sofrem de demência. Você não quer sobrecarregá-los com estimulação, mas manter o cérebro ativo é muito importante para manter sua função cognitiva e lutar contra o avanço do CCD.

As sessões de jogo devem ser interativas e razoavelmente curtas. Você vai querer manter seu cão ocupado sem colocar muito estresse sobre ele, e isso significa conhecer as preferências de seu cão.

O trabalho do nariz é outra ótima maneira de manter o cérebro ativo, o que não deve causar ansiedade. O mesmo pode ser dito das sessões de treinamento. Ensinar novos truques a um cachorro velho é uma ótima maneira de manter o cérebro ativo, mas esteja ciente das limitações.

Não fique frustrado se o seu sênior não estiver pegando como antes e se ele mostrar sinais de ansiedade, escolha outra atividade. Seu veterinário ou um veterinário comportamentalista pode ajudá-lo a dar algumas dicas sobre como abordar essas atividades.

8. As caminhadas ainda são importantes

As caminhadas são benéficas para cães de qualquer idade, mas são especialmente importantes para cães que sofrem de demência, desde que sejam curtas e rápidas.

Uma caminhada é uma boa oportunidade para introduzir suavemente algum estímulo leve ao cérebro na forma de cheiros, imagens e sons interessantes. Deixe seu cachorro cheirar um pouco e tente evitar puxar a guia para apressá-lo. Isso ajudará a manter sua mente ativa.

A atividade física também será boa para eles. Uma caminhada curta e rápida faz o sangue fluir, o que pode aumentar o oxigênio e a glicose no cérebro. Apenas certifique-se de que a caminhada não seja muito longa e extenuante, ou os músculos começarão a absorver muito do oxigênio de que o cérebro precisa.

De que outras maneiras você ajuda a combater os efeitos da demência em seu cão? Que tipo de tratamento seu veterinário recomendou? Deixe-nos saber nos comentários abaixo!