Ajudar cães cegos pode beneficiar pessoas com deficiência visual

Pesquisadores veterinários descobriram que os olhos dos cães são bastante semelhantes aos nossos. A semelhança é tão nítida que a Fundação de Pesquisa do Glaucoma financiou um estudo conduzido por cientistas veterinários para mapear os genes de cães cegos . Os cientistas acreditam que, ao estudar esses genes, eles podem entender melhor as duas causas mais comuns de cegueira - glaucoma e retinite pigmentosa.

A pesquisa começou há uma década, quando Andras Komaromy, professor e pesquisador da Faculdade de Medicina Veterinária da Michigan State University, recebeu uma ligação de um criador de cães que estava preocupado em ver vários cães ficarem cegos devido a uma doença retinal.

Komaromy contaCNN,“Eu dirigi mais de 500 milhas de Filadélfia a Michigan para examinar os cães afetados.”



Todos os cães que ele observou eram da mesma raça - Vallhunds suecos . O criador disse a Komaromy que os veterinários escandinavos começaram a ver a doença no final dos anos 1990.

Os Vallhunds suecos não são tão comuns e a raça quase morreu durante a Segunda Guerra Mundial. Komaromy procurou outros pesquisadores para comparar as pesquisas. Ele encontrou Hannes Lohi e Paivi Vanhapelto fazendo pesquisas semelhantes na Finlândia.

Eles colaboraram e contataram veterinários em sete países em três continentes para examinar 324 cães. Eles testaram amostras de sangue desses animais e descobriram que a raça compartilhava um defeito mutacional em um gene designado como MERTK (c-mer proto-oncogene tirosina quinase). Eles publicaram seu estudo na revista revisada por paresPLOS One.

A pesquisa mostrou que o gene em humanos e cães já está associado à cegueira retiniana incurável. A boa notícia é que, ao marcar o gene, os criadores podem evitar a propagação dessa doença hereditária.

Komaromy e seus colegas esperam desenvolver um tratamento para inibir a propagação do gene mutado em cães e humanos. “Modelos de doenças retinianas caninas contribuem significativamente para a nossa compreensão dos mecanismos de doenças retinianas e o desenvolvimento de novas terapias para pacientes humanos”, diz Komaromy.

O glaucoma humano afeta cerca de 66 milhões de pessoas em todo o mundo e é causado por vários fatores.

Fonte:CNN,Faculdade de Medicina Veterinária da Michigan State University,PLOS One