A segurança do shopping remove veterano por ter cão de serviço

Um veterano da Virgínia foi escoltado do local pela segurança do Greenbrier Mall por ter um cão de serviço. Joshua Brown sofre de Transtorno de Estresse Pós-Traumático e requer a ajuda de seu cão-guia para sair em lugares públicos e manter sua ansiedade sob controle.

Um cão de serviço Labrador está ao lado de seu dono.

Brown estava acompanhado por seu cachorro e pelo treinador de cães, um psiquiatra e veterano que estava trabalhando com Brown e o cachorro para deixá-los confortáveis ​​para caminhar juntos em lugares públicos. Este é um exercício regular e importante para animais de serviço, e o treinador havia realizado essa rotina muitas vezes sem incidentes antes.

Enquanto caminhavam, foram abordados por um segurança do shopping que mais tarde voltou com dois outros guardas e um supervisor que os disse para irem embora. Quando Brown perguntou por quê, a única resposta foi que o shopping era propriedade privada. Os guardas que se aproximavam provocaram um ataque de ansiedade em Brown, enquanto o escoltavam para fora do local.



Brown caminha pelo shopping com seu cão de serviço andando ao lado dele na coleira.

O gerente geral do shopping afirma que sempre permitiram clientes com cães-guia e que lembraria os funcionários dessa política após o incidente. Brown voltou ao shopping mais tarde com seu cachorro e não teve problemas.

Isso soa como o caso de um segurança excessivamente zeloso e um supervisor que ignorava as políticas do prédio ou era orgulhoso demais para admitir um erro e se desculpar. De acordo com a Lei dos Americanos com Deficiências, animais de serviço são permitidos em todas as empresas que atendem ao público, como deveriam ser. Eles não são animais de estimação; são assistentes de pessoas com deficiência física e mental.

O que você acha? Isso foi um grande mal-entendido? O que podemos fazer para evitar esse tipo de falha de comunicação no futuro? Deixe-nos saber nos comentários abaixo!

Artigo relacionado: Cão de serviço do ano negado embarque na American Airlines